Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Melhor Política

Melhor Política

O vírus do socialismo que está a dar cabo disto tudo.

Maio 04, 2021

Sérgio Guerreiro

CF1BA543-5C30-4F8F-98AF-33AE2C9FD8DD.jpeg

Depois da ilusão, a realidade bate sempre à porta. Não é conhecido nenhum caso de sucesso político e económico vindo do socialismo. Ao contrário, podemos dar muitos exemplos.

 

Em Portugal, a experiência de Soares, Guterres e Sócrates, levou o País a estender a mão aos outros e hoje, António Costa, que vai engordando as suas gentes e toda a máquina do estado que controla faz com que Portugal não cresça como devia.

 

As políticas são demagógicas, não criam riqueza bem permitem a qualquer jovem poder sonhar, e ainda há quem ache que podemos continuar a viver sob a égide de uma patética ideologia que nunca deu resultado nenhum.

 

Mais à esquerda, não se gosta de recordar o comunismo tipo soviético, que nos anos 60 e 70 do século passado parecia um sucesso, e que se revelou afinal uma tragédia para os povos subjugados, exposta com o colapso da União Soviética.

Tragédia económica, sem dúvida, mas também banhada num monte de sangue das vítimas da repressão comunista.

A Venezuela, um dos países mais prósperos da América Latina, é hoje o maior colapso económico e social já mais visto. Na Europa, o Reino Unido, liderado nos anos 70 pelo partido Trabalhista, deve a sua recuperação a Margaret Thatcher.

Mitterrand levou a França ao desastre.

 

Por aqui, em terras lusas, aplica-se a regra de quanto mais estado melhor estado. Um estado controlador de tudo e de todos, desrespeitando regras e abusando do poder pondo ou serviço os meninos fiéis na esfera do controlo.

 

Um estado que não evolui, que não deixa criar riqueza e que não entende que é através dela que se cria mais e melhores condições de vida para todos.

 

Este estado, que vive à conta de cada um de nós, vai comprando descaradamente os seus funcionários, para não perder o seu eleitorado. É ele que vai criando mais emprego tornando a máquina cada vez mais pesada para que a conta quando chegar, saber a que porta deve bater.

 

Não se fala em crescimento, não há um política de visão para futuro e vamos sistematicamente aplicando a velha receita de tributar em vez de criar.

Não se estuda nem se debate uma política de incentivos fiscais para a atração de investimento, não se fala em competitividade fiscal, nem se quer ouvir em falar em baixar impostos, quando na realidade, é precisamente aí que tudo mexe.

Não se quer perceber que em crises financeiras e sociais a recuperação económica deve-se em grande parte à diminuição de impostos sobre o trabalho para incentivar a procura interna, bem como promover políticas de redução da carga fiscal nas empresas para atração de investimento e criação de postos de trabalho. O valor perdido em impostos directos, podem gerar mais receita em impostos indiretos.

 

 

Não se fala na reforma da justiça, onde um empresário que tenha um litígio fiscal, pode ver o seu caso resolvido em 15/20 anos.

 

No fundo não se faz nada. Não se governa mas governam-se, não se cria riqueza mas enriquecem, não cria emprego, mas os pupilos socialistas são directores gerais aos 34 anos onde a maioria dos jovens com idade semelhante vivem de trabalho precário, e é uma sorte te-lo.

 

Vamos remendando buracos aqui e ali e não se resolve a fundo coisa nenhuma.

 

Esperem para ver, mas o PPR(Plano de Recuperação e Resiliência) não vai trazer nada de bom a ninguém, porque as manobras nos bastidores já estão a ser preparadas para a vaca que voa se fazer a vida.

E nós? Nós não valemos nada. Resta-nos pagar os disparates desta gente inqualificável, inoperante, desonesta e sórdida que vai dando cabo disto tudo. Outra vez.

 

 

 

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub