Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Melhor Política

Melhor Política

Eis que surge um deputado da nação que não é mais que um mero político apalhaçado.

Setembro 06, 2021

Sérgio Guerreiro

35A511AC-C571-466A-A482-6F37A3E865BA.jpeg

Definitivamente alguém tem que tirar das mãos do deputado José Magalhães qualquer dispositivo que possa enviar mensagens para uma qualquer rede social. Continua a ser recorrente por este deputado, a maledicência, o insulto e a calúnia como forma de se dirigir à massas, mas todas elas sempre dirigidas para o nada e para o vazio. Nunca quer atingir ninguém, nunca é sobre nada mas sempre pateticamente protegido com a capa da liberdade de expressão.

 

Sobre o caso que não é caso nenhum mas que muito se falou, do anúncio sobre uma escolha individual e pessoal do eurodeputado Paulo Rangel, José Magalhães “ ilustre e mui digníssimo” deputado na nação do Partido que não lhe liga nenhuma, recorreu à sua conta de Twitter para garantir que um comentário que fizera pouco antes na mesma rede social, sobre o que iria acontecer quando Paulo Rangel revelasse que “gosta de uma certa casa de Bruxelas onde se pratica bondage e S&M”, não se dirigia ao eurodeputado social-democrata e não era mais do que “uma extropolação virtual hipotética sem destinatário”.

 

É isto o que de melhor o deputado José Magalhães sabe fazer,  andar por aí nas redes sociais a oferecer por vezes “umas cacetadas terapêuticas” como aconteceu recentemente em uma publicação do candidato do PSD à câmara do Seixal, Bruno Vasconcelos onde o deputado emitiu também umas extrapolações virtuais hipotéticas  sem “destinatário”.

 

Com o seu estilo de fino recorte no uso do vocabulário, José Magalhães usa e abusa de uma linguagem ofensiva, que não é digna para nenhum deputado na nação, sendo por si mesma, reveladora da sua atitude e da sua da inigualável e patética forma de estar na política.

 

Este triste episódio que mais uma vez tem como protagonista o sempre José Magalhães, é aquilo que em bom português se pode apelidar de uma grande sacanice, aquilo a que José Magalhães a bem da verdade nos vai habituando. Ele pode dizer tudo de todos, da forma como quiser e bem lhe apetece, e passa tudo pelos pingos da chuva como se nada tivesse sido escrito, e o respeito pelos outros vai pelo cano neste ritual de lamaçal que José Magalhães vai criando, conspurcando a política e o mais nobre princípio democrático: o respeito. 

 

Mas tudo isto são valores que José Magalhães não sabe o que é, fazendo dele aquilo que na verdade representa: um simples e mero deputado apalhaçado com a mania que é um intelectual. 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub