Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Melhor Política

Melhor Política

As mais importantes questões do mundo estão todas aqui.

Setembro 30, 2020

Sérgio Guerreiro

1FF6DA7C-67BD-4536-9AB3-1267BFA23F21.png
A morte de Joaquín Salvador Lavado,“ Quino”, o pai de Mafalda é hoje sentida em tudo o mundo. E em mim também, porque hoje me fizeram puxar por memórias que se julgava esquecidas e lembrei-me então das minhas amigas da escola que tinham todas, ou quase todas, uma mochila da Mafalda ou um estojo da Mafalda. Qualquer coisa era da Mafalda. Cresci a ler a Mafalda porque eu também não gostava de sopa. E se eu pensar bem, é possível que até ela me tenha influenciado na crítica social e política. No fundo, acho ela me ajudou a questionar. É possível que sim. Mas com a pouca idade que tinha, Mafalda já sabia o que queria. Queria aquilo que todos nós queremos.
O que ela simboliza é só o nosso desejo mais profundo de uma sociedade tal e qual como ela a vê, e será certamente a mais pertinente comentadora política de todos os tempos.
Dos anos 60 , data da sua criação, até hoje o mundo pouco aprendeu com a Mafalda. A sua crítica e as suas reflexões sobre a humanidade vão passando de geração em geração, deixando recados e conselhos para um mundo melhor.
Mas o pior de quem é livre nestas coisas de dizer e sempre com uma grande dose de verdade,  é isto. Ninguém lhe liga.
O seu pai hoje já não pegará mais no lápis, mas a Mafalda continuará viva  e tem na nossa história o mais invejável lugar. Tem um lugar que jamais ser ocupado por qualquer homem, porque passados tantos anos, ninguém como a Mafalda combateu a Paz mundial, a igualdade e a educação  e tantas outras causas com a sua irreverência.
Em tudo o que na sua época a Mafalda sem apelido dizia, ainda faz hoje eco na nossa sociedade que não consegui pensar no significado das suas reflexões.
A Mafalda não gostava da sopa e acho que os políticos não gostam da Mafalda.

Até sempre Quino,  e muito obrigado por tudo aquilo que nos deixas e por me ajudares a pensar e sempre a fazer rir. 
Deixas o mais preciso tesouro crítico, social e político de todos estes tempos e por curiosidade, ainda me lembro da Mafalda dizer a uma tartaruga que se podia chamar de "burocracia" de tão devagar que isto anda. E o que mudou ? 

O mundo deve-te tanto "Quino".
Que orgulho deves estar a sentir da tua filha.

4 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D