Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Melhor Política

Melhor Política

Uma pilinha que pode valer 128 mil euros.

Agosto 25, 2021

Sérgio Guerreiro

7D891ED0-8A37-4AAA-AF7B-93C990F7F0D8.jpeg

O álbum “ Nevermind” dos Nirvana anda novamente na boca do mundo. A capa do disco do melhor dos Nirvana de 1991, tem a fotografia de um bebé de nome Spencer Elden agora com cerca de 30 anos. Agora, o bebé da pilinha à mostra que  já é um homem, propôs uma ação  contra os elementos ainda vivos da banda de Rock, Nirvana, fundamentando que, não pode à altura dar o seu consentimento para ser capa do álbum. E vai mais longe: considera que o caso consta num crime de exploração sexual. A lei norte-americana não considera pornografia infantil nas imagens com bebés nus, desde que estas não contenham poses sexualizadas. Ora, o ilustre e mui sapiente advogado da “ vítima" considera que, após a produção e tratamento da fotografia, foi colocada uma nota de um dólar dando assim a imagem que o bebé “ parece um trabalhador sexual”.

 

Trinta anos após, parece, segundo Elden, que a utilização da imagem do álbum “ Nevermind” lhe causou “danos para a vida “ provocando uma “ angústia mental” que interferiu” com o seu  normal desenvolvimento e progresso educativo” e assim como, ficou impedido de ter “ tratamento psicológico e médico”.

Em 2015, numa entrevista dada ao The Guardian , Elden,  considera que a experiência de ser capa do álbum que vendeu cerca de 30 milhões de cópias, lhe abriu imensas portas. Aliás, em várias ocasiões Elden, em regra para celebrar o seu aniversário, recriaria a capa de 1991.

 

Mas o que fez com que esta “ vítima” mudasse repentinamente de ideias, deste a sua entrevista em 2015 ao The Guardian?

O oportunismo disto tudo, o dinheiro que faz falta e um mundo perdido em imbecilidade , faz de toda esta história aquilo que ela é: patética.

Cartas de amor: o que o carteiro nunca traz.

Agosto 23, 2021

Sérgio Guerreiro

342804A3-36E8-47AF-AF50-8D4845A09164.jpeg

Escreveu um dia Álvaro de Campos (Heterónimo de Fernando Pessoa ), um poema com o título : “Todas as Cartas de Amor são Ridículas”.

 

Hoje, o amor é enviado por sms,s seguido de emojis que arrancam um breve sorriso ao destinatário e dão mais ou menos alguma cor ao texto também ele mais ou menos elaborado.

 

As cartas de amor deixaram de ser o que devem sempre ser e a sua preciosidade e  importância, é uma prova mais que  inequívoca daquilo que somos.

Perder tempo a enviar uma carta de amor em substituição de usar as mais variadas e usuais formas, seja  em redes sociais ou por SMS, dá-nos a possibilidade de ganhar todo o tempo do mundo. Quando escrevemos uma carta de amor, espalhamos nelas todas as palavras que são um espelho fiel daquilo que sentimos. Nada disto cabe numa longa e extensa SMS que se torna fria e distante. 

 

Hoje, estou em crer, que nem a letra do nosso parceiro/a conhecemos.
O "amor " agora é enviado numa lo mensagem, seja de texto ou de voz. Agora pensem: e se o teu amor um dia destes for à caixa do correio e no lugar de uma carta das finanças ou uma qualquer coima de trânsito,  o carteiro deixar por lá a tua carta de amor ?  O bater do coração seria tão incrivelmente diferente... Sim, porque uma carta de amor é incrivelmente diferente.

Quando estamos ridiculamente apaixonados escrevemos coisas incrivelmente ridículas e assim devem ser sempre todas as cartas de amor. É importante não perder, ou voltar a descobrir as cartas de amor que nos escreveram e perceber o quão especial todo aquilo faz verdadeiramente parte da nossa história individual.

Por vários factores, as cartas de amor que um dia escrevemos e recebemos, são e devem ser consideradas o nosso património individual imaterial.


As cartas de amor são algo que nos poder mostrar o que já fomos e o que possivelmente gostaríamos de voltar a ser. Portadores de um amor tão puro e verdadeiro como outrora onde um dia fomos melhores do que aquilo  hoje somos. Por isso, talvez seja preciso e reler a nossa alma com olhos postos no passado para voltarmos a ser quem realmente queremos ser. Para isso, nada melhor que voltar a ler todas as cartas de amor porque elas mostraram a nossa verdadeira e intemporal essência: viver na enterna ridicularidade do amor em palavras, que, não forem elas ridículas, não seriam cartas de amor.

Tudo isto fez parte de uma história pessoal tenha ela o fim que tiver, mas que não deve nunca sair das nossas vidas. E nada mais triste do que rasgar a nossa história, o nosso passado e tudo aquilo que fez parte integrante do nosso crescimento individual e da nossa vivência enquanto seres mais verdadeiros e puros, onde por vezes, recuando no tempo, nos podemos de novo encontrar.

 

Que voltem depressa  as cartas de amor ridículas e que se não perca a sua importância na vida de todos daqueles que amam, tal como Ofélia amava Pessoa.

Cuba: onde o comunismo deixa o povo à fome.

Agosto 08, 2021

Sérgio Guerreiro

6D4B1872-D76D-4C8F-8AA5-9DEEA7A7FE39.jpeg

Não é preciso perceber muito de política, para que cada um de nós se interrogue como pode um partido português como o Bloco de Esquerda, do qual depende em grande o nosso governo, fazer uma manifestação de apoio à ditadura comunista Cubana. Do ponto de vista político será no entanto interessante verificar que o sistema Cubano, proíbe a existência de um outro qualquer partido que não seja comunista tal como censura a livre imprensa. Todos estes factos reais são totalmente contrários a tudo o que o Bloco de Esquerda protagoniza. Curiosamente, é importante referir o silêncio da esquerda ao saber que  Fidel Castro  e à semelhança de Estaline, líder dos comunistas soviéticos, sempre sentiu grande repulsa pela homossexualidade, isto para dizer que, no actual sistema político Cubano tanta vez apoiado por um  partido político português do qual o governo depende, há e sempre existirá, aquilo que o Bloco de Esquerda sempre quis abolir: a discriminação. Cuba nunca aceitou que nenhum dos seus possa ser homossexual. Reinaldo Arenas, que foi eternizado no filme “Antes que Anoiteça” protagonizado por Javier Bardem, foi um desses homossexuais perseguidos, presos, torturados e obrigados a passar fome só porque não tinham os mesmos gostos sexuais como o macho latino Fidel Castro. Fugiu do país nos anos 70, tal como aconteceu com muitos gays igualmente expulsos pelos comunistas.

 

Os relatos dos Cubanos que sobrevivem apenas com o equivalente a 100 dólares por mês, onde há falta do mais básico e do mais essencial para que se possa ter uma vida condigna, onde há médicos que trabalham carregar as malas dos turistas, não impressiona a nossa esquerda.

A tudo isto, a esquerda ao longo dos anos vai fechando os olhos dando a ideia que nada é como se diz quando todos sabem e conhecem a verdade. Todos eles sabem a miséria de vida do povo Cubano, mas todos fingem não querer saber.

 

Não é conhecido, nenhum regime comunista que se possa ter levado a sua população à prosperidade. Uma economia totalmente controlada e estatizada dará sempre um resultado: a fome e a mísera, e enquanto isso, o povo Cubano vai gritando de barriga vazia e de bolsos vazios.

 

Todos estes gritos de revolta  interessam a alguém? Não. Mas era bom que alguma elite esquerdista saiba ouvir o que pode significar os gritos e a revolta do povo quando o regime que apregoam os deixa à fome.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub